Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rosa Affair

Rosa Affair

E quando não "conseguimos" ser "a" mãe

Já passei por este sentimento. Uma vez, apenas uma. E foi suficiente para perceber o quão difícil é quando não somos capazes. Quando o nosso corpo não deixa. Quando a nossa cabeça não deixa. Quando não temos força. Quando a doença é mais forte que nós. Quando temos de dizer leve o meu filho que neste momento ele está melhor consigo do que comigo. É difícil e não é a mesma coisa que os deixar ir por lazer.

 

No meu caso, nada que uns dias não resolvesse. No entanto, aquele dia foi suficiente para pensar em todas as mães com casos clínicos difíceis. Foi suficiente para deixar de ser desleixada. Foi suficiente para nunca mais querer passar por um estado de degradação tão grande ao ponto de ter que pedir para tomarem conta do meu filho. E desde então estou mais atenta aos sinais que o meu corpo me transmite. Pode não adiantar de grande coisa, às vezes tudo desmorona sem um único sinal. Mas em assuntos que podem ser resolvidos, não adianta adiar. O esperar que "isto não é nada" fez-me ver que afinal isto é muito, quando não conseguimos estar com os nossos.

 

Muitas de nós dizemos que as mães não adoecem. Mas as mães adoecem sim! E por vezes ficamos um trapo. E precisamos de ajuda sim! E temos que os deixar por um momento para nos ajudarem primeiro a nós, por mais difícil que isso seja. Desde que a minha pequena nasceu, dou muito mais importância aquilo que sou. Tenho a certeza que preciso de estar aqui por ela. E não quero passar por um dia igual aquele outra vez.

 

Muita coragem para as todas as mães que neste momento estão a passar por sentimentos difíceis como este. É apenas um sentimento, não se deixem vencer por ele. Vocês são mães e ninguém o fará melhor que vós. ♥

mother1.jpg

Cocó, esqueceste-te de perguntar se os Euromilionários ficam burros

Sigo a Cocó na Fralda. Há uns dias ela fez um questionário “Ganhei o Euromilhões, e agora?”.

Hoje dei por mim a ler uma notícia acerca de um acidente que envolveu uma euromilionária portuguesa. Até aqui tudo bem. A senhora teve um acidente, espatifou um carro e dois dias depois comprou outro. Fez ela bem. O dinheiro é dela, ninguém tem nada a ver com isso.

 

Fiquei foi um pouco preocupada com a sanidade mental da senhora. A notícia diz:

 

Maria Amélia despistou-se em Ariz, freguesia do concelho de Marco de Canaveses, quando tentou ultrapassar um camião. Em sentido contrário vinha um outro carro, o que levou a condutora a atravessar-se em frente ao veículo pesado e a despistar-se contra um muro.

A euromilionária acrescentou ainda que não vai assumir a culpa do acidente em que se envolveu esta semana, e do qual saiu ilesa.

 

Então a mulher ultrapassa um camião quando vem um carro em sentido contrário, despista-se à frente do camião e não vai assumir a culpa?

 

Cocó, se calhar era melhor acrescentar ao inquérito a pergunta: Será que se eu ganhasse o euromilhões ficava burra?

 

Este post teve como pressuposto que a notícia do dn é verídica.

Pág. 1/6

Siga-nos no Bloglovin

Rosa Affair

Mais sobre mim

foto do autor