Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rosa Affair

Rosa Affair

Aqui está uma mãe de coração cheio

3611ee389659eca1edffea4f41fffa24.jpg

 

Querida filha,

 

A mãe está de coração cheio. Três anos foram suficientes para ouvir da tua boca tudo o que uma mãe precisa de ouvir para ficar com uma felicidade imensa. - Mãe, mas eu gosto muito de ti. Fez-se silêncio, estávamos sozinhas. No momento seguinte nem me consegui lembrar do que eu te disse para tu te justificares dessa forma. Mas estas são palavras que nunca vou esquecer. Palavras sentidas, genuínas de uma inocência pura.

 

Ainda na mesma semana ouvi uma nova frase que nunca pensei que iria ouvir de ti. - Mãe, posso dormir no teu colo? Eu disse – sim, claro que podes – e fez-se silêncio novamente. Tentei recordar todos os momentos em que não o quiseste fazer. São muitos, muitos e muitos. Recordei o único momento em que adormeceste no meu colo de cansaço e depois olhei para ti a aconchegares-te e pensei – Estou a fazer tudo certo!

 

 

 

 

 

Imagem daqui

A minha bebé não faz cocó sozinha

7e3e8f7056d3f2d561509a1655036a62.jpg

Tenho andado a adiar este post na esperança que quando o escrevesse o assunto já tivesse despachado. E já está, felizmente. Mas arrastou-se durante quatro meses.

 

A miúda não faz cocó sozinha.

 

Uma das poucas coisas que a maternidade ainda não me tinha 'falado' é que os bebés podem não saber evacuar. Tudo o que vou falar aqui é fruto da experiência com a minha filha.

 

Quando nasceu fez cocó, aquele primeiro cocó escuro, o mecónio. Depois durante a primeira semana fazia qualquer coisa entre as mamadas e depois deixou de fazer definitivamente.

 

A partir daí e até aos quatro meses foi tentar perceber quando ela estava incomodada por não fazer cocó. Andou sempre muito desconfortável e daí ser muito chorona. A pediatra disse-nos que o bebé pode estar até cinco dias sem fazer cocó e sempre desvalorizou o facto de não o fazer sem ajuda. "Quando começar com as sopas ela vai fazer" – dizia. Mas, até lá, tivemos que a ajudar pois andava sempre muito queixosa. A ajuda passava por estimular o rabito com um cotonete e vaselina. Por vezes não era suficiente e tinha que usar um microclister. Troquei o Bebegel pelo Melilax Pediatric pois diz ter uma ação protetora e, consequentemente, reduzir a sensação de incómodo, irritação e a inflamação presentes em caso de obstipação. Para mim o Melilax Pediatric é o Bebegel dos tempos modernos. Com a minha B. usei sempre Bebegel quando necessário.

Ainda assim, a minha bebé em recém-nascida, quando lhe colocava o Melilax, não conseguia evacuar. Era como se eu tivesse que lhe dizer com o cotonete – é aqui que tens que fazer força – e só assim o fazia. Depois por volta dos três meses com massagens já conseguia que ela fizesse um pouco, mas as massagens não podem ser suaves e têm que se passar no ponto certo. Com o tempo ficamos prós em massagens. Assim que introduzi as sopas parece que o milagre aconteceu. Não foi logo no primeiro dia, mas foi no dia em que ela comeu uma refeição de sopa que substituiu o leite. E voilá. Quatro meses de muitas dores de barriga e cólicas mas agora tudo parece encaminhado.

Imagem daqui

Hoje pedi desculpa à minha bebé

Ela chora muito. E por muito que me custe, vai entrar na creche no fim deste mês. A minha licença está a terminar. E a minha cabeça está numa pressão danada para que ela consiga adormecer sozinha. Raramente o faz e sempre assim foi. Hoje aproveitei que o meu marido não estava em casa, para fazer as coisas de forma diferente. Como sempre, na hora de dormir, deito-as na cama. Hoje privilegiei a minha filha mais velha, sendo que não tive tanta disponibilidade para dar atenção à mais nova, sempre que ela chorava. No intervalo da mais velha fui ter com ela para a acalmar, no qual nunca fui bem-sucedida. Chorou muito, não aceitou a chucha e estava com muito sono. Assim que consegui que a mais velha ficasse a dormir, fui tentar perceber o que ela queria. Era choro de quem não estava satisfeita. Queria leite, apesar de ainda não ter fome. Tentei por tudo que ela fizesse pelo menos duas horas de intervalo desde o último biberão, mas ela já estava tão exausta que não conseguia dormir, nem parar de chorar. Dei-lhe então o leite. Não conseguiu acabar de beber de tão exausta que estava. Levantei-a para arrotar. Arrotou já a dormir, mas logo percebi que não tinha sido o suficiente. Fui deitá-la. Cinco minutos mais tarde, já estava a chorar. Queria arrotar novamente. Levantei-a, arrotou, adormeceu. Mais cinco minutos e chorou novamente. O mesmo choro. Levantei-a, arrotou e deu um suspiro de alivio. Imediatamente lhe pedi desculpa por não a ter podido ajudar mais cedo e a ter deixado chegar aquele ponto. Dorme bem meu anjo.         

Siga-nos no Bloglovin

Rosa Affair

Mais sobre mim

foto do autor