Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rosa Affair

Rosa Affair

Mas para onde foi o dinheiro?

Tenho uma aplicação com o qual giro o meu orçamento familiar. Desde que comecei a registar todos os movimentos na aplicação (e já foi em 2013) que consigo perceber ao pormenor para onde vai o dinheiro que ganho.

É verdade, manter a aplicação atualizada, dá trabalho, mas também é verdade que se não o fizesse, teria uma ideia completamente diferente da gestão do meu orçamento familiar.

 

Se com isto poupo mais? Não. Poupo o mesmo, mas sei precisamente ao cêntimo onde gasto o dinheiro. E sei precisamente onde o dinheiro é mal gasto. Mais à frente vou falar-vos de alguns pontos que aprendi ao utilizar esta aplicação e de como eu tinha uma noção completamente diferente do que é a realidade. Por vezes pensamos que as fatias maiores são as despesas fixas mensais, como casa, creche, luz, água, gás, etc, mas não é bem assim. Vou começar por um exemplo prático de como o nosso orçamento pode derrapar sem nos apercebermos:

 

Comprar uma saia para a miúda ir jogar o Halloween.

Este ano, pela primeira vez em três anos, comprei uma saia preta, que me despertou a atenção numa montra, para a miúda brincar no Halloween. No momento em que entrei na loja ia decidida em comprar apenas a saia.

green-check-mark_peq_1.jpg

Saia 14,90€

Até seria um Halloween moderado em termos monetários. Experimentei então a saia à miúda e percebi que se tivesse frio, ela não poderia ir para a escola só de saia. Então pedi uns collants. Não havia. Está bem então levo umas leggings pretas, que faz o mesmo efeito e dão para vestir no dia-a-dia.

green-check-mark_peq_1.jpg

Leggings 7,99 €

No fim das leggings, pedi para me deixarem ver uma t-shirt meia punk que dizia qualquer coisa como "Queen of Rock & Roll" que ficava bem com a saia. Hum levo também.

green-check-mark_peq_1.jpg

T-shirt 9,99 €

 

Não sei se estão a ver onde quero chegar, com esta coisa do dinheiro mal gasto e de não sabermos onde gastamos o dinheiro. Continuando…

 

Ainda nesse dia passei no shopping pois a miúda queria apenas ir andar no escorrega e vi numa montra uma bandolete com umas orelhas de gato que ficava um must no fato. Para concluir em grande, passaram-me uns collants pretos pela vista, as tais que não havia na primeira loja. Como só havia pack de duas, lá vieram dois collants.

green-check-mark_peq_1.jpg

Bandolete 4.99€

green-check-mark_peq_1.jpg

Collants 12.99€

 

Hoje quando estava a colocar as minhas despesas na aplicação, foi quando percebi de imediato que o Halloween saiu-me caro. O que eu pensei que não deveria ultrapassar uns vinte euros, deu imaginem:susto-.jpg

 

green-check-mark_peq_1.jpg

Saia

14.99€

green-check-mark_peq_1.jpg

Leggings

7.99€

green-check-mark_peq_1.jpg

T-shirt

9.99€

green-check-mark_peq_1.jpg

Bandolete

4.99€

green-check-mark_peq_1.jpg

Collants   

   12.99€

 

Total

50,86€

 

 

E é mais ou menos isto que acontece com todos nós, nestas e noutras áreas e no final do mês lá nos perguntamos: Mas para onde foi o dinheiro? Ficam então algumas coisas que aprendi com o facto de registar as minhas despesas diárias numa aplicação:

 

- Inicialmente temos que obrigatoriamente fazer registos diários, pois o nosso cérebro ainda não está treinado para este tipo de gestão e facilmente nos esquecemos onde gastámos o dinheiro que tínhamos na carteira.

- No fim de alguns meses a fazer este tipo de registo diário, já é mais fácil lembramo-nos onde gastámos o dinheiro e já conseguimos apenas fazer registos semanais.

- Começamos a ter menos dinheiro na carteira e a usar mais o multibanco, pois é mais fácil ver no extrato do banco onde gastámos o dinheiro.

- Quanto mais dinheiro temos na carteira (notas e moedas), mais gastamos em coisas inúteis.

- Muito facilmente conseguimos duplicar o limite de € definido para gastar mensalmente em jogos da sorte (Euromilhões, Totolotos, Lotarias e afins) sem darmos conta. Basta olhar para a fatia no final do mês e ver que aqueles jackpots nos tramaram o orçamento.

- O "ir almoçar ou jantar ali qualquer coisa" (comida de shopping), pode-nos custar uma grande fatia no nosso orçamento mensal.

- O tabaco é uma dor de carteira sem fim à vista.

- Épocas como Natal, Páscoa, Passagem de ano, Férias, Dia do Bolinho, etc, custam-nos caro. Mas com esta aplicação sabemos precisamente quanto gastamos em cada coisa.

- Os presentes de aniversário para as festinhas dos amiguinhos da escola também custam caro.

- Os cafés que bebemos saem-nos mais caro do que nós pensamos.

- Dinheiro em portagens, estacionamento e arrumadores de carros existem e são reais. Não os ignorem.

 

Com o uso deste tipo de aplicações para gerir o vosso orçamento familiar, irão perceber que o que digo não é em vão. Por hoje é tudo. Num próximo post irei dar destaque há aplicação que uso que é grátis e tem versão desktop e mobile.

Os nossos pensamentos estão online

Estamos numa era em que nem os nossos pensamentos estão a salvo. Nós transmitimo-los diretamente para o mundo. Não somos capazes de viver sem o mundo digital e isso além de nos transmitir muita informação, também nos coloca numa situação muito vulnerável.

 

Quantos de nós, quando temos uma coisa em mente, mesmo que seja só nossa, a primeira coisa que faz é digitá-la num motor de busca à espera que ele nos dê todas as respostas ou pelo menos nos encaminhe para uma possível solução? Todos. Todos o fazemos…

O nosso espanto quando por acaso pesquisamos por férias e de repente é só ofertas de férias em cada janelinha de cada página que nós visitamos. E até dá jeito. Olha que promoção tão jeitosa! O mesmo quando pesquisamos por roupa, por um presente, por carros, por receitas, por relógios, por telemóveis, por tudo. Aquele vestido que cliquei ainda há cinco minutos no site da Spartoo, agora persegue-me por todo o lado! Como é que é possível?

O que acontece é que cada palavrinha está a ser registada e será processada para ser utilizada em publicidade direcionada.

 

Se consultarem a página do Adsense, que é um serviço que gere a publicidade do Google, eles têm uma parte que diz:

 

"Podemos exibir anúncios para você com base em muitos fatores, incluindo:

Tipos de websites que você acede e aplicativos para dispositivos móveis que possui no seu dispositivo;

O cookie da DoubleClick no seu navegador e suas configurações de anúncios;

Websites e aplicativos que você acedeu e que pertencem a empresas que anunciam no Google;

Sua atividade em outro dispositivo, caso você tenha feito login na Conta do Google anteriormente usando outro dispositivo;

Interações anteriores com os anúncios ou os serviços de publicidade do Google;

Seu perfil do Google, incluindo atividades no YouTube e no Google+;

 

Nós não fazemos o seguinte:

Associar seu nome ou informações de identificação pessoal ao cookie da DoubleClick sem seu consentimento;

Associar um identificador de cookies ou tecnologias semelhantes a categorias sensíveis, como aquelas que se baseiam em raça, religião, orientação sexual ou saúde;

 

Não se assustem se enviarem um e-mail com um assunto e de repente começam a deparar-se com esse tema em tudo o que são sites que acedem. O Google também tem ferramentas que acedem ao conteúdo dos nossos e-mails e através de algoritmos calcula que anúncios nos deverão ser mostrados.

Conforme há o Google, há outros a fazer isto, e talvez muitas pessoas à caça de dados muito importantes como pins, números de cartões de crédito, logins, passwords, etc etc… Nem nos vossos pensamentos deverão enviar um e-mail com estes dados a ninguém, nem digitá-los num chat tipo o chat do facebook ou mesmo no skype!

 

Esta era do digital começa a assustar. E é o que neste mundo está a evoluir mais rapidamente. Quando me vejo daqui a 30 anos, penso numa aplicação tipo Google Life a dizer-me "você está aqui", "esta é a sua casa", "esta é a sua familia", "estes são os seus pensamentos", "estas são as suas preocupações", "estas são as suas memórias"...

 

desenhoRA.png

Que idade tenho eu?

Já perguntaram à Microsoft que idade ela vos dá? Eu já. A Microsoft tem um site, onde fazendo upload de uma foto, nos diz a idade e o sexo da pessoa. Não é que eu tivesse ficado muito feliz com o resultado! Deu-me quatro anos a mais do que tenho. Bem pelo menos o sexo adivinhou, menos mal...

À minha B. de 11 meses deu-lhe dois anos. Boa filha, estás a envelhecer muito depressa... Vou experimentar com outra foto e já venho! Ahhhh, deu 3 anos. Pronto, paramos por aqui se não ainda me dizem que tenho uma bebé em idade de ir para a escola primária.

Façam o vosso teste e partilhem o resultado aqui...

www.how-old.net

Blogger vs Sapo

Como sabem mudámos de casa. Ainda não deixámos definitivamente o Blogger, mas mais uns dias e o blog no Blogger vai começar a reencaminhar para o blog do Sapo. Sou nova no mundo do Sapo mas já noto algumas diferenças. Este post não tem intenção de ser um post depreciativo mas sim um post construtivo em que podemos analisar diferenças entre as duas plataformas e trocar ideias de como podemos contornar alguns problemas que possamos enfrentar.

bloggervssapo.jpg

1. Migração: Consegui facilmente migrar o meu blog do Blogger para a Sapo, graças à funcionalidade da Sapo de importar/exportar.

2. Template: No Blogger é mais fácil personalizar o nosso template. Quase tudo pode ser personalizado, sem estarmos a mexer no html ou css. No Sapo, só quem tem conhecimentos de css é que consegue colocar o seu template minimamente ao seu gosto ou então tem que se limitar aos templates por defeito. No Sapo, também não é possível alterar o html, ou se é, eu ainda não descobri onde. No meu caso, consegui reproduzir minimamente o template do Blogger, que era uma das condições para migrar para o sapo. No entanto, é um processo muito demorado.

3. Extras / Miniaplicações: No Blogger existem muitas miniaplicações pré-definidas que podemos usar. No Sapo não existem muitas opções. Para conseguir recriar as minhas miniaplicações do Blogger tive de fazê-las em html. No Sapo temos limite de miniaplicações personalizadas que podemos usar (isso deixa-me um pouco irritada)!

4. Editor da mensagem: Os editores da mensagem estão ao mesmo nível. Enquanto o Sapo deixa criar uma tabela por defeito, no Blogger temos que usar html se a quisermos usar. No entanto, no Blogger posso colocar uma legenda na imagem, no Sapo não posso. Ambos têm um editor avançado de html, onde podemos fazer o que quisermos.

5. Imagens: O Blogger aloja as nossas imagens. Não precisamos de contas, nem clouds nem nada. No Sapo ou temos de ter uma conta no SapoFotos ou uma no Meo Cloud ou no Flickr.

6. Google AdSense. No Blogger é fácil. Associamos a conta adsense ao blog e depois existe uma miniaplicação onde podemos colocar o anuncio onde quisermos com um dos tamanhos disponíveis. No Sapo existem limitações. A grande diferença é que os blogs do sapo são subdomínios e a google não permite anúncios em subdomínios. Portanto, ou temos que comprar um domínio próprio ou usar um domínio de outro blog qualquer. E depois temos de colocar o código num dos componentes da sapo pois não existe um componente pré-definido para isso.

7. Visibilidade: No Blogger temos que ser nós a fazer alguma coisa para termos visibilidade. O Sapo ajuda-nos a ter visibilidade, tanto nos destaques como nas pesquisas e este é o grande ponto a favor.

Por hoje fico por aqui. Mas ainda só estou à um dia no sapo.

Siga-nos no Bloglovin

Rosa Affair

Mais sobre mim

foto do autor